Arquivo anual 2018

porHemocentro

Cursos Hemocentro RP

Estão abertas as inscrições para os cursos de Medicina Transfusional e Hemoterapia Aplicada.                                                                                                                         

Para saber mais, escolha uma opção:

Curso de Medicina Transfusional

Curso de Hemoterapia Aplicada

Compartilhe:
porHemocentro

Doe Sangue!

Compartilhe vida neste Natal!

Compartilhe:
porHemocentro

Posto de coleta fechará aos domingos

A fim de agilizarmos o atendimento e garantirmos maior conforto durante o processo de doação, comunicamos que em todos os domingos, a partir de 2/12/2018, o Posto de Coleta, da Rua Quintino Bocaiuva, 470, estará fechado e o atendimento para doação de sangue será no Hemocentro Sede – Campus da USP; situado à Rua Tenente Catão Roxo, 2501 (entrada pela rua Prof. Hélio Lourenço)

Esperamos você para juntos salvarmos vidas!

Mais informações: (16) 2101 9300.
Compartilhe:
porHemocentro

Pesquisa indica controle de esclerose múltipla com transplante autólogo de células-tronco

Pesquisadores do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto em parceria com pesquisadores da Suécia, Inglaterra e Estados Unidos (estudo mist)     confirmaram que o transplante autólogo de medula óssea (com células tronco do próprio paciente) promove  o controle da doença e melhora a qualidade de vida dos pacientes que sofrem de esclerose múltipla.

110 voluntários com esclerose múltipla participaram da pesquisa. 55 deles fizeram o transplante e 55 fizeram o tratamento convencional com medicamentos. Depois do transplante, os pacientes transplantados cessaram uso de medicações para esclerose múltipla.

Os pacientes transplantados apresentaram melhora neurológica (regressão da doença) e maior controle da doença após o transplante, enquanto que o grupo de pacientes tratados convencionalmente apresentou piora neurológica (progressão da doença) e pior controle da doença.

No primeiro ano pós-transplante, somente 3 (6%) dos pacientes transplantados apresentaram reativação da esclerose múltipla, enquanto que esse número foi de 33 (60%) no grupo de pacientes tratado convencionalmente.  Trinta paciente que encontravam-se no grupo tratado convencionalmente puderam mudar de grupo após o primeiro ano de acompanhamento, e foram transplantados. Esses pacientes também apresentaram melhora neurológica.

O HC de Ribeirão, por exemplo, já fez 90 transplantes com as verbas disponibilizadas a pesquisas e  2/3 responderam ao transplante, obtendo controle da atividade da esclerose múltipla, sendo que deste total, metade manteve a doença controlada e na outra metade houve progressão (mas em taxa menos acelerada do que a original) ao longo do tempo. Esses resultados não foram tão bons quanto os do estudo atual (acima) porque, a maioria desses pacientes foi transplantada na fase tardia, já degenerativa, da doença. O transplante funciona melhor nas fases mais precoces, inflamatórias da doença.

O sus ainda não oferece o transplante para pacientes com esclerose múltipla. O custo de uma transplante é de aproximadamente R$ 15 mil, enquanto o tratamento com medicação, dependendo do remédio, custa ao SUS cerca de R$ 15 mil a R$ 19 mil ao ano.

A doença – Na esclerose múltipla, as lesões nos neurônios causam distúrbios na comunicação entre o cérebro e o corpo. Entre os sintomas estão a perda da visão, dor, fadiga e comprometimento da coordenação motora e sensibilidade.

Isso acontece porque o sistema imunológico do corpo confunde células saudáveis com “intrusas”, e as ataca, provocando lesões. no transplante, as células tronco refazem o sistema imunológico, que deixa de atacar as células do próprio corpo. Os pacientes que fizeram o transplante e participaram do estudo mist continuam sendo acompanhados pelos pesquisadores.

Compartilhe:
porHemocentro

Pesquisador receberá prêmio por pesquisa sobre esclerose sistêmica

O pesquisador Lucas Arruda e a orientadora da pesquisa Maria Carolina Rodrigues  receberam  “Menção Honrosa do Prêmio CAPES de Tese de 2018 da área de CIÊNCIAS BIOLÓGICAS III pela tese – Estudo dos mecanismos imunológicos do transplante autólogo de células-tronco hematopoéticas em pacientes com esclerose sistêmica”. O evento de entrega dos prêmios acontecerá em Brasília, no dia 13 de dezembro de 2018, no Associação dos Servidores da Câmara dos Deputados.

Compartilhe:
porHemocentro

Cresce a doação de sangue na Rede Hemocentro RP

A Rede Hemocentro RP coletou 13.13% mais bolsas de sangue no primeiro semestre de 2018 do que o mesmo período de 2017.                                                                             

De janeiro a julho de 2018, foram coletadas 62.817 bolsas de sangue e nos seis primeiros meses de 2017 foram coletadas 55.525.

A expectativa da gerente de captação Mirian Castanheira “é de que no segundo semestre de 2018 o volume se mantenha em alta e feche o ano com número superior a 2017”. No ano passado, o Hemocentro RP coletou 93.092.

Compartilhe:
porHemocentro

Curso de Atualização em Hemoterapia

Estão abertas as inscrições para o curso de Atualização em Hemoterapia.                                                                             

O curso é financiado e certificado pelo Centro de Formação de Recursos Humanos para o Sistema Único de Saúde-CEFORSUS-SP de Araraquara e em parceria com o Hemocentro de Ribeirão Preto. A carga horária será de 140 horas teórico-práticas para os profissionais que trabalham nas Agências Transfusionais, hospitais públicos e hospitais contratados pelo SUS com o objetivo de suprir a carência de conhecimento desses profissionais, melhorando assim a qualidade dos serviços oferecidos.

Período de inscrição: 01/08/2018 até 31/08/2018.

As aulas terão início em setembro. São realizadas uma vez por semana, às sextas-feiras, das 8 às 17 horas.

Os documentos necessários para inscrição são:

  1. Requerimento de matrícula (original) – Clique aqui para fazer o download.
  2. Cópia simples de:
  • Cédula de identidade (RG) – Não pode ser a CNH ou outro documento;
  • CPF (Cadastro de Pessoa Física);
  • Certidão de nascimento ou casamento;
  • Título de eleitor com o comprovante da última eleição;
  • Certificado de reservista (se pertinente);
  • Certificado de conclusão com histórico escolar da Graduação ou do Curso Técnico.

OBS.: Não serão realizadas inscrições com pendências de documentos.

Colocar em um envelope e enviar para:

HEMOCENTRO DE RIBEIRÃO PRETO
Rua Tenente Catão Roxo, 2501 – Monte Alegre.
Ribeirão Preto – SP
CEP: 14051- 140

Aos cuidados de Sara Quaglio ou Marcela Ganzella (Gerência de Enfermagem)

 

Compartilhe:
porHemocentro

Empresa Amiga

O Hemocentro RP lançou o Selo ‘’Amigos da Doação de Sangue’’

Destinado a todas as instituições que desejam atuar em prol da doação de sangue.

Saiba como ser um “Amigo da Doação de Sangue do Hemocentro”. 
Clique aqui e veja como participar.

Compartilhe:
porHemocentro

Falta de combustível impede doação de sangue

As cidades de São Tomas de Aquino e Luiz Antonio não conseguiram transportar doadores de sangue para o Hemocentro em Ribeirão Preto
porque os veículos da prefeitura estão com restrição no uso de combustível. Isso agravou ainda mais o estoque. Dos 30 previsto de Luiz Antonio, apenas cinco compareceram com veículo próprio.

Nesta segunda-feira, 28, não há nenhuma bolsa de sangue do tipo O NEGATIVO. Há 122 bolsas de sangue do tipo O POSITIVO, mas o necessário para manutenção do estoque de segurança seriam 340 bolsas.

As doações de plaqueta também caíram. Das 16 coletas programadas para o final de semana, apenas sete foram realizadas.

O Hemocentro, no campus da USP, funciona das 7h às 12h30, e no Posto de Coleta, da rua Quintino Bocaiuva – 470, das 7h às 17h30. O doador pode agendar a doação pelo 0800 979 6049.   

Compartilhe:
porHemocentro

Hemocentro mantém certificado de qualidade

A Fundação Vanzolini manteve, pelo 19º ano consecutivo, o certificado de qualidade do Hemocentro de Ribeirão Preto.                 

O primeiro foi em 1999 e desde então a cada dois anos, a Instituição se submete a essa análise.  O relatório da auditoria foi entregue, nesta sexta-feira, 11, à direção da Instituição.Auditor

O auditor Oswaldo Pinto Ribeiro Junior destacou quatro pontos fortes: comprometimento da direção e envolvimento do
pessoal com sistema de gestão da qualidade, investimentos nas instalações, excelente resposta dos clientes na pesquisa de satisfação, maturidade do sistema de gestão da qualidade.

Para o gerente de Qualidade do Hemocentro, Leonardo Scalon “o certificado ISO 9001:2015 garante padronização das atividades realizadas no Hemocentro e isso aumenta a qualidade dos serviços prestados, dos hemocomponentes distribuídos e gera credibilidade à instituição”.

Ribeiro Junior sugeriu manter a certificação e migrá-la para a versão 2015 da norma, além de incluir o Núcleo de Taubaté na certificação. “A ISO 9001:2015 inovou ao trazer como requisito obrigatório o pensamento baseado em risco, fazendo com que a instituição implante e mantenha ações para minimizar os riscos em suas atividades”, explica o gerente de qualidade Leonardo Scalon. 

Compartilhe: