Arquivo anual 2019

Festival internacional leva ciência a bares de Ribeirão Preto

Bar é lugar de cerveja gelada, petiscos e muita diversão, certo? Mas nos dias 20, 21 e 22 de maio, esse cardápio vai ganhar outro item bastante saboroso: ciência. Nesses dias, Ribeirão Preto recebe mais uma edição do Pint of Science, um festival internacional de divulgação científica.

O evento cresceu e, em 2019, ganha os bares de 24 países. No Brasil serão 87 cidades nas cinco regiões. Esse número transformou o País em recordista do festival em quantidade de cidades.

Em Ribeirão, professores e pesquisadores de várias instituições vão conversar diretamente com o público nas cervejarias Invicta e Lund sobre temas como saúde, genética, democracia, comunicação e exercícios físicos. A entrada é gratuita e o público paga apenas o que consumir nos bares. Também não serão feitas reservas de mesas, portanto é importante chegar com antecedência.

A organização local do evento é feita pelo Centro de Terapia Celular, Instituto de Estudos Avançados Polo Ribeirão Preto e Centro de Pesquisa em Doenças Inflamatórias, que são instituições ligadas à USP Ribeirão Preto. A programação completa e mais informações estão disponíveis no site http://pintofscience.com.br/events/ribeiraopreto.

Sobre o evento

Pint of Science começou em 2012, quando os pesquisadores do Imperial College LondonMichael Motskin e Praveen Paul organizaram um evento para que pacientes com Alzheimer, Parkinson, doenças neuromusculares e esclerose múltipla pudessem conhecer as pesquisas e os laboratórios em que os dois atuavam.

A ideia deu tão certo que os dois decidiram criar uma forma de tirar os pesquisadores de seus laboratórios e levá-los para conversar com o público. Surgia, assim, em maio de 2013, o Pint of Science.

No Brasil, o festival foi realizado pela primeira vez em 2015, em São Carlos (SP), pelo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP. A iniciativa caiu no gosto do público e rapidamente se espalhou, sendo levada a sete cidades em 2016, a 22 em 2017 e a 56 em 2018. A organização envolve pessoas ligadas a universidades e institutos de pesquisa de todo o País, que trabalham voluntariamente para que o evento cresça a cada ano.

fonte: https://sites.usp.br/iearp/

Compartilhe:

FMRP inaugura Departamento de Imagens Médicas, Hematologia e Oncologia Clínica

Participaram da cerimônia o atual reitor da USP Prof. Dr. Vahan Agopyan e o ex-reitor Prof. Dr. Marco Antonio Zago. Também estiveram presentes a diretora da FMRP USP Prof. Dra. Margaret de Castro, o superintendente do HCFMRP-USP Prof. Dr. Benedito Carlos Maciel e o diretor presidente do Hemocentro de Ribeirão Preto e coordenador do CTC-USP Prof. Dr. Dimas Tadeu Covas.

Compartilhe:

CTC-USP realiza o “2º Encontro Brasileiro de High Content Screening”

O Centro de Terapia Celular (CTC-USP) promove o “2º Encontro Brasileiro de High Content Screening”, de 15 a 19 de Julho, no Hemocentro de Ribeirão Preto.

O evento tem como objetivo divulgar abordagens de triagens funcionais baseadas em ensaios celulares em placas (utilizando, por exemplo, siRNAs, microRNAs, CRISPR ou drogas), assim como, métodos de análise celular multiparamétrica baseados em microscopia de fluorescência quantitativa automatizada (ou High Content Screening/Analysis – HCS/A).

O encontro traz nos dias 15 e 16/07, oito palestras científicas (três internacionais), além de mais duas mesas redondas com cinco palestrantes. Já nos dias 17, 18 e 19/07, serão ministrados três minicursos com atividades práticas.

As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas pelo link: http://bit.ly/2Dtboz0.

O participante interessado em submeter resumo para pôster científico tem até o dia 15 de junho para realizar a inscrição pelo mesmo link acima.

As informações completas sobre todas as palestras, mesas e minicursos estão no site: www.hemocentro.fmrp.usp.br/hcs/.

Saiba mais sobre o High Content Screening:

Compartilhe:

Casos de dengue aumentam no país. Atenção ao doar sangue.

O Ministério da Saúde divulgou um aumento de 264% dos casos de dengue no país. O número de óbitos pela doença cresceu 67%, com principal ocorrência no Estado de São Paulo.
 
A doação de sangue e hemocomponentes é proibida se o doador teve diagnóstico de Dengue, Chikungunya ou Zika nos últimos trinta dias.
 
Os colaboradores também não devem doar caso apresentem sintomas como febre, dor muscular, dor nas juntas, fraqueza, dor de cabeça, dor nos olhos, entre outros. 
 
Quem manteve relações sexuais com pessoas que nos últimos três meses tiveram diagnóstico ou suspeita de Zika não deve doar.
 
Se você apresentou manifestações do vírus até quatorze dias após a doação, por favor, avise o Hemocentro de Ribeirão Preto.
 
Ligue para 0800 979 6049. A ligação é gratuita.

Compartilhe:

Estoque de O negativo é insuficiente para atender um dia de demanda

Para atender os quase 140 hospitais de sua região, o Hemocentro de Ribeirão Preto precisa de ao menos 77 bolsas de sangue tipo O Negativo, mas nesta quinta-feira, 28, há apenas sete bolsas. O estoque é insuficiente para atender a demanda de um dia. Para piorar, a Instituição pediu ajuda as suas três unidades (Olímpia, Bebedouro e Batatais) e cinco núcleos (Taubaté, Araçatuba, Presidente Prudente, Fernandópolis e Franca) e nesses locais também há falta desse tipo sanguineo.

“Vamos entrar em um período de cinco dias críticos para todos os hemocentros do país em razão do Carnaval e um doador pode ajudar a até três pacientes que precisam desse tipo de sangue. Precisamos lembrar que no Carnaval as necessidades de pessoas que dependem de transfusão continuam”, afirma a assistente social, Marina Braga. Portanto, se você é O Negativo vá até um Hemocentro e faça sua doação de sangue.O doador pode se preferir pode agendar a doação pelo 0800.9796049.

Compartilhe:

Visite o Celularium na “Feira da Imunidade e da Vacina” do Instituto Butantan

O Centro de Terapia Celular (CTC-USP) participa da primeira “Feira da Imunidade e da Vacina” do Instituto Butantan, em São Paulo. O evento será realizado nos dias 23 e 24 de fevereiro, das 10 às 16h, no Heliponto da instituição.

Os visitantes poderão conhecer o Celularium, um planetário inflável de 22m² que aguça a perspectiva do público diante do universo celular. O filme, exibido em 360° no seu interior, simula uma viagem de imersão pelos componentes de uma célula animal.

A exibição leva o viajante a mergulhar por um dos canais seletivos da membrana até o citoplasma, passando por organelas, núcleo celular e podendo participar da captura de partículas extracelulares pelo lisossomo.

A Feira científica tem entrada gratuita e conta com diversas atividades interativas para todas as idades. O principal foco é ressaltar a importância da vacinação e como as vacinas conseguem nos proteger contra vírus e bactérias que poderiam levar à morte.

Dentre as atrações, os participantes poderão utilizar microscópios com acompanhamento dos monitores, dialogar com painéis e objetos que explicam como o sistema imune funciona, saber como as vacinas são produzidas e quais os benefícios da imunização.

Para mais informações acesse o site imunidadeevacina.butantan.gov.br

Compartilhe:

Casa da Ciência abre inscrições para orientadores no projeto “Pequeno Cientista”

Estão abertas, até o dia 21 de março, as inscrições para os pesquisadores e pós-graduandos interessados em participar do programa “Pequeno Cientista” da Casa da Ciência. Os orientadores acompanharão grupos de alunos do ensino básico por um projeto de iniciação científica.

Os encontros acontecem todas as quintas-feiras, das 15h30 às 17 horas, no Hemocentro de Ribeirão Preto, durante o 1º semestre deste ano. As atividades começam no dia 28 de março e terminam no dia 27 de junho com o Mural, um evento aberto ao público em que os estudantes são avaliados pelos resultados alcançados, nos moldes de um congresso científico.

A parceria é essencial para que as ações da Casa tenham sucesso neste 19º ano de existência. A proximidade entre o pesquisador e aluno faz toda a diferença.

Os participantes terão direito a certificado referente à colaboração. A Casa da Ciência também desenvolve outros programas e projetos não-presenciais.

Os interessados devem conversar com a equipe pelo e-mail contato@casadaciencia.com.br ou pelo telefone (16) 2101-9308.

Visite também o site www.casadaciencia.com.br.

Compartilhe:

Cresce o volume de bolsas de sangue coletadas em janeiro

O número de bolsas de sangue coletadas no Hemocentro de Ribeirão Preto cresceu 6.25% em janeiro de 2019 em relação a igual período de 2018. Este ano, foram coletadas 2.412 bolsas, em janeiro do ano passado, 2.270.

É um bom começo, já que em 2018, o Hemocentro fechou o ano com 26.254 bolsas coletadas, 1.498 a menos do que em 2017, quando foram coletadas 27.752 bolsas de sangue.

Compartilhe:

Leucemia Mielóide Aguda é tema de palestra internacional no Hemocentro RP

O pesquisador Thomas Winkler ministra a palestra “Mutated Isocitrate Dehydrogenase (IDH) 1 in Acute

 Myeloid Leukemia (AML) – An uptodate on research and target treatment”, no dia 31/01, às 11h, no Anfiteatro Vermelho do Hemocentro de Ribeirão Preto.

O Especialista em Hematologia/Oncologia atua no National Heart, Lung, and Blood Institute (NHLBI) doNational Institutes of Health (NIH), dos Estados Unidos.

A Leucemia Mielóide Aguda (LMA) é um tipo de câncer que tem como característica a super produção de células imaturas, também conhecidas por blastos, tipos de glóbulos brancos responsáveis por combater as infecções.

O evento tem o apoio do Centro de Terapia Celular (CTC-USP) e do Hemocentro RP. A participação é gratuita e não é necessário realizar inscrições.

Compartilhe:

Estudo destaca relação entre câncer de pênis e mutações no genoma das mitocôndrias – Agência FAPESP

Peter Moon | Agência FAPESP – Um estudo publicado por pesquisadores brasileiros na revista Molecular Biology Reports sugere a existência de mutações no genoma mitocondrial que podem favorecer a progressão do tumor peniano.

O câncer de pênis é um tumor raro nos países desenvolvidos, representando cerca de 0,4% das neoplasias malignas em homens, na Europa e nos Estados Unidos. No Brasil a incidência é bem maior. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), esse tipo de tumor corresponde a 2% de todos os casos de câncer que atingem o homem.

“É a primeira vez que se estuda o genoma mitocondrial para verificar alterações que possam estar relacionadas ao tumor peniano”, disse Wilson Araújo da Silva Junior, professor na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FMRP-USP) e um dos autores principais do trabalho, que foi conduzido no âmbito do Centro de Terapia Celular (CTC), um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O tipo mais frequente do câncer de pênis é o carcinoma epidermoide, também denominado espinocelular ou escamoso, que representa 95% dos tumores malignos do pênis. Apesar de o câncer peniano ser uma doença com alto potencial de cura se identificada em estágios mais precoces, a demora no diagnóstico e na procura por tratamento específico é observada em mais de 50% dos casos.

O câncer peniano apresenta maior incidência em homens que vivem em regiões rurais e com idades a partir dos 50 anos, embora possa atingir os mais jovens. Está relacionado a baixas condições socioeconômicas e de instrução. A doença é causada principalmente pela falta de higiene íntima e tem forte prevalência em homens com fimose.

Clique aqui para conferir a reportagem completa.

Compartilhe: